TIC: Tecnologia da Informação e Comunicação e a Economia Criativa

Conteúdos multimídia iH!Criei neste artigo

vídeo
foto
infográfico
áudio
pesquisa
Não temos revisores, portanto, se você encontrar algum erro, por favor nos ajude entrando em contato, e, se você quiser entender o por quê, leia nosso manifesto.

Ao acordar, uma das primeiras coisas que fazemos é olhar o celular. Várias notificações: aplicativos, amigos, redes sociais, joguinhos. Agora imagine viver sem isso… Pense quantas coisas ao nosso redor tem um software, um mecanismo inteligente e tecnológico por dentro. Nossas televisões, celulares, tablets, computadores, às vezes até as geladeiras, microondas e o portão de casa não escapa dessa tecnologia toda. Tudo no mundo moderno tem tecnologia e softwares que, obviamente, não se criaram sozinhos. O que envolve tudo isso? De cara, já dá uma espiada em todas as áreas que você (ou alguém que conhece) pode trabalhar – direta ou indiretamente. Afinal, hoje em dia é muito importante você ter conhecimento dessas áreas, pois quase tudo em algum momento esbarra com a tecnologia, portanto, mesmo que você não vá seguir nessa carreira, é importantíssimo entender como funciona e suas possibilidades e habilidades.

UM PASSO A PASSO PARA VOCÊ SE PREPARAR PARA ESTA CARREIRA

Existem várias áreas de atuação dentro da tecnologia, mas o aprendizado básico é praticamente o mesmo para todos, em especial para quem quer programar. Abaixo, um passo a passo para você entender de forma prática o caminho dessa jornada no mundo dos softwares.

Passo 1: Antes de mais nada, você precisa entender o mínimo de lógica de programação. Faça leituras e estude os algoritmos simples antes de partir pra programação em si, pois quem entende a lógica por trás do processo consegue dominar qualquer linguagem (chamamos de linguagem, o modelo de código de programação).

Passo 2: Quando estiver craque na lógica, ai sim, estude alguma linguagem como C (para programações simples e mais antigas), C++ (que desenvolve programas como o Chrome, Firefox, etc), Java, que é uma evolução do C++, C# para plataformas Windows e Objective-C para produtos da Apple e as de desenvolvimento web como Phyton e PHP. Se você quer programar para uma plataforma específica, como Apple ou Android, ou até mesmo sites como o WordPress, vale aprender o tipo de código que é mais usado em cada.

Passo 3: Sabe uma linguagem, nem que seja o mais básico do básico? Se desafie! Crie alguma coisa! Tente fazer um joguinho, um calendário diferente pro seu computador ou celular, qualquer coisa vale. Na hora de desenvolver você vai notar coisas que precisam melhorar no seu aprendizado e coisas que deram certo e ver na prática. O bom é que qualquer coisa que você programar pode ir pro seu portfólio depois!

Passo 4: Quer uma dica legal? Coloque os seus trabalhinhos na comunidade GitHub. Ela é uma comunidade online onde você compartilha seu código com outras pessoas, que podem testá-lo, opinar e te ajudar com dicas e soluções, assim você já vai trocando experiência, feedbacks e prática – elementos importantíssimos pra essa área.

Passo 5: Vá em feiras, exposições, convenções. Isso vai te dar a oportunidade de conhecer gente que já trabalha na sua área de interesse, aprender mais, e quem sabe até conseguir mostrar um pouco do que você já criou.

A experiência e prática contínua é tão importante nessa área que várias empresas fazem maratonas e concursos de programação várias vezes ao ano. A IBM é uma delas, vale conferir (veja aqui o site oficial das maratonas deles) – no final você pode conseguir uma vaga de emprego na própria empresa, além de viajar com seu projeto pelo mundo. Imagina! E mesmo que não ganhe nada, a experiência de participar já um enorme aprendizado!

Ficou com a cabeça a mil por hora com tanta tecnologia, mudança e possibilidades? Então curta e aprenda mais um pouco no documentário na Netflix, “Eis os Delírios do Mundo Conectado”, do cineasta Werner Herzog, que pondera sobre os lados positivos e negativos de tanta tecnologia ao nosso redor. Bora dar aquele click gostoso no botão do play!

Pôster do filme: Eis Os Delírios do Mundo Conectado, de Werner Herzog (2016)

É importante enfatizar que não somos especialistas em todas as categorias da indústria criativa, só em algumas como Comunicação Instantânea e StoryMídias. Porém, somos jovens pesquisadores da Economia Criativa e estamos, aos poucos, nos informando, conhecendo e vivenciando cada um dos universos criativos, para ampliar nossa visão de mundo e proporcionar a você uma imersão completa e maior entendimento do por quê esse universo da criatividade humana é tão fascinante, e como você, seja de qual área criativa for ou, caso não seja, trabalhe com os criativos, consiga ampliar sua visão de mundo para gerar inovação em sua atividade profissional e assim obter cada vez mais reconhecimento!

Você pode nos ajudar a construir um conteúdo qualificado e assertivo dando suas sugestões, trazendo seus incômodos e opiniões, seja nos comentários ou redes sociais. Nosso canal mais ativo no momento é o Instagram: @ihcriei. Segue lá!

>> Colaborou para este artigo, texto e design Patricia Bernal

Arte da capa: Dmitry Mòói

Como você se sentiu depois de aprender com este conteúdo?
  • Quero+ (9%)
  • Chocado (9%)
  • Inspirado (18%)
  • Curioso (18%)
  • Surpreso (9%)
  • Feliz (27%)
  • desanimado (9%)

Sobre Camilla Zahn

Camilla Zahn é assistente de conteúdo e gestão de redes sociais, designer e filmmaker. Formada em audiovisual, amante de gatos e filmes do expressionismo alemão, é portadora de uma doença rara e deficiente física, buscando compartilhar suas vivências com o mundo, sempre de forma criativa, e com muita emoção. Para entrar em contato, envie um e-mail para zahnfilmmaking@gmail.com.

Este post foi publicado em Tecnologia, zHOME e marcado com a tag em por .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.