O que a moda nos ensina
sobre criatividade?

Conteúdos multimídia iH!Criei neste artigo

vídeo
foto
infográfico
áudio
pesquisa
Não temos revisores, portanto, se você encontrar algum erro, por favor nos ajude entrando em contato, e, se você quiser entender o por quê, leia nosso manifesto.

Eu não sou leitora de blogs de moda, não consumo tendências e pouco conheço os grandes especialistas dessa área na ponta da língua. O que eu sei então sobre o tema? Sendo simplista, o que eu gosto de vestir e me sinto confortável. Essa é minha moda. E se quero alguma coisa diferente, eu olho pra mim mesma e penso em coisas que eu “já vi por aí”, que me inspiraram, e coloco na prática para ver se combina comigo.

O lance de eu estar falando de um assunto que não sei bulhufas é que um amiguíssimo meu, o jornalista, consultor e especialista de moda Erisson Rosati, me convidou para o evento Fashion Meeting, pois ele ia ser mediador, estava organizando e seria uma boa oportunidade para gente se rever! Boa ideia! Ah! Contando um segredinho procês, eu adoro ir em “nichos” que eu sei é nada. Porque você sai de lá sabendo muita coisa! É uma delicia de aprendizado e um ótimo ambiente para estimular a criatividade.

Os especialistas de moda citando a criatividade

Essa turma aí de cima, para variar, era totalmente desconhecida pela minha pessoa. A moça do lado do Erisson (ponta esquerda) é a Carol Garcia, uma jornalista de moda e professora de um curso de Mídias Sociais na faculdade Belas Artes, em São Paulo. Quando perguntei sobre criatividade em relação as tais “blogueiras de moda” ela disse que é uma entusiasta da Economia Criativa e que a aplica muito bem no curso que ministra. Não entrou em detalhes, mas já fiquei feliz com a conexão das temáticas, afinal MODA faz parte da Economia Criativa.

A que está com o microfone é a Camila Almeida, ela é responsável pela CARAS blogs – outra coisa que não fazia ideia que existia, e disse (em relação a produção de conteúdo) que

“Para ser criativo na sua atividade, você deve falar e fazer o que gosta e procurar entender muito sobre o assunto. É ser verdadeiro e coerente com o que você fala ou faz. Se você não curte algo, porque  falar daquilo? Por que está na moda? Errado. É aí que nasce um monte gente falando a mesmice”.

– Camilla Almeida

E eu concordo muito com ela. Afinal, criar é estar envolvido. E para se envolver de verdade você precisa gostar do que faz ou do assunto que trata. Ela deu exemplos de blogueiras, tipo que odeiam, sei lá, renda e acabam falando de renda no blog porque “tá na moda” e tem que falar. Afinal é a autenticidade que faz com que você possa começar a se destacar no meio de tanta gente. Ser autêntico é ser criativo.

Isso me fez lembrar uma pesquisa que li sobre empreendedorismo dizendo que o brasileiro é um empreendedor nato, porém ele copia muito do mesmo. Por que será? Pra refletir.

A criatividade é indispensável na criação de moda, desde a escolha dos tecidos até pensar em modelos e designs novos.

Criatividade e Empreendedorismo

O outro convidado é o Márcio Banfi, artista, especialista e editor de revistas de moda, que se considera um retrô no estilo de vida, algumas opiniões e modo de ver a moda, mas que está aberto ao mundo digital – não tem como né gente!?rs . Há dois pontos que ele trouxe junto com o Erisson Rosati, mega interessante. O primeiro é que seria ideal – e talvez um tendência – nós aprendermos a fazer nossa auto-edição ou auto-curadoria. Claro que após estudar sobre como fazer isso. Como assim?

Eu diria que é a ideia de saber fazer algo mais “profissa”  sem depender de tanta gente pra isso acontecer. E isso vale para quem é blogueiro, youtuber, empreendedor e por aí vai. O famoso “Do It Yourself” ou “Faça você mesmo”. Aprendendo a ser virar, você primeiro desenvolve suas habilidades – ou melhora um pouco – e depois, vai se tornando cada vez mais profissional, mais completo e mais independente.

O segundo ponto é sobre criatividade. Ele trouxe uma frase de alguém – talvez do mundo da moda que eu não memorizei – que diz “Acho impossível ensinar uma pessoa a ser criativa. Mas se ela começar a entender o que é criatividade, já será um bom começo”. A ideia dele é dizer que você só fica bom em algo, quando começa a entender esse algo, certo? E, claro, ir colocando em prática o que se aprende.

E faz todo o sentido em relação a criatividade também. Ou seja, se as pessoas se abrirem mais para entender o que é a criatividade e como fazer uso dela, talvez teremos um boom de criativos por aí 😉 Um primeiro passo simples. Não? Vamos falar de prática? Então, vou lhe contar essa breve história de um vídeo meu de…MODA! Hein? Assista o vídeo, tem 30 seg, e eu já te explico o que ele tem a ver com criatividade. ; )

Bom, essa Kilkenny Shop, para quem não conhece é a maior rede de varejo de luxo na Irlanda. Tá, belê. Minha missão era fazer um teaser promocional do que foi o desfile – que rolou dentro da loja. Detalhe: essa ideia de “teaser promocional” eu fui descobrir o que era em termos de temática, depois de fazer as imagens, o que, digamos é meio que anti-profissional e inadmissível. Pra mim, não pro irlandês que me contratou. Eu estava iniciando a carreira no audiovisual, então, a gente vai que vai!

O fato é que o micro- empresário estava abrindo uma empresa de video marketing e pegou esse projetinho para começar a relação com a rede de varejo. No dia do evento, ele sabia “mais ou menos” o horário que ia começar. Me ligou de última hora, fui até o local, chegando lá eu perguntei: “E aí o que é pra gravar? Qual a intenção do vídeo?” Como ele não entendia nada de produção de vídeo – era só um business man – disse: ah, faz umas imagens aí. Eu queria morrer. Hein!? Como é que uma filmmaker vai fazer “umas imagens aí” sem saber o objetivo final do vídeo? Além do que eu iria editar e tudo mais. Bom, belê. Cheguei, o desfile já tinha começado, a moça apontou aonde eu poderia estar, eu vi que ninguém estava na frente da passarela – onde as moças param – e montei ali rapidamente o equipamento. O povo todo me olhando né: “Quem é essa mina folgada? Porque ela chegou e pegou O lugar?” Bom isso era como eu me senti. Cara-de-pau. Um dos aprendizados básicos da carreira como jornalista.

Do problema, nasce a solução

Fui lá, fiz as imagens, concentração total. Olho no olho das modelos para que elas abraçassem minha ideia – ou minha câmera – e passassem a olhar para mim, uma desconhecida com cara de gringa – sim, lá os gringos somos nós! O lance é que eu não sabia o que ia acontecer e nem para o que era aquilo tudo. Mas, sabia que tinha que dar o melhor e fiz o que minha intuição e meu trabalho me pediam pra fazer: “Dá um jeito disso ficar bacana!” E então eu me reinventei na hora, entrei onde não sabia se podia entrar, me concentrei para ser notada de alguma forma pelas modelos, não deixei com que a falta de equipamentos adequados me impedisse de fazer um bom trabalho, enfim, me deixei envolver pela coisa toda, além de não saber nada de moda e nunca ter feito nenhum trabalho para o ramo.

Para finalizar, no dia de editar o vídeo, vi as imagens e falei: vou trazer as moças mais belas, as roupas mais belas os olhares e sentimentos mais belos que deu pra captar e que caberia no vídeo. Entendo de moda? Nadica, mas entendo de pessoas e de beleza, e claro, de usar a criatividade no meu universo filmmaking com aquilo que eu tenho nas mãos. No fim, o setor de marketing adorou o vídeo! Mal sabem eles quais foram os bastidores dessa produção. rs

Quer ler mais sobre criatividade e moda? Indicamos dois livros, o primeiro em português, voltado para o Brasil, chamado “Criatividade Brasileira – Gastronomia, Design, Moda“, de Alex Atala, Fernando e Humberto Campana e Jum Nakao (ed. Manole), e o gringo “Creativity in Fashion Design: An Inspiration Workbook” da Tracy Jennings (ed. Fairchild Books).

Lição do dia: Entender a criatividade é um passo enorme para que ela faça parte da sua vida.

Arte da capa: Lydia Hill

Como você se sentiu depois de aprender com este conteúdo?
  • Quero+ (0%)
  • Chocado (0%)
  • Inspirado (0%)
  • Curioso (0%)
  • Surpreso (0%)
  • Feliz (100%)
  • desanimado (0%)

Sobre Patricia Bernal

Sou fundadora e curadora do portal IH!CRIEI, apaixonada pela transformação que a criatividade humana pode impactar! Atualmente estudo o mercado criativo, transformação digital e tudo que envolve inovação em gestão e negócios criativos. Sou Jornalista, Fotógrafa, Filmmaker, Educadora e Palestrante, além de pesquisadora autônoma. Dentro de nossa classificação pra Economia Criativa, sou da área de Comunicação Instantânea, com especialização em conteúdo Multimídias e em StoryMídias, com especialização em Audiovisual. "Espero contribuir com um conteúdo que inspire e ajude as pessoas a fazer um melhor proveito da criatividade, gestão e autonomia de carreira e negócios nas áreas criativas e no mundo digital". Se quiser conhecer um pouco de meu olhar criativo, acesse www.patriciabernal.me

Este post foi publicado em Moda e marcado com a tag , , , , , , , , , , em por .

5 pensou em “O que a moda nos ensina
sobre criatividade?

    1. Patricia Bernal Autor do post

      Oi Carlos, td bem?

      Muito obrigada!

      Já coloquei seu e-mail na minha lista para você não perder as novidades. 😉

      Curte a fan page tb que posto coisas legais lá!

      Me conte mais como as dicas lhe ajudaram, é super importante para mim!

      Bjs!

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *