Como a série “Abstract”
iluminou nossa criatividade

Conteúdos multimídia iH!Criei neste artigo

vídeo
foto
infográfico
áudio
pesquisa
Não temos revisores, portanto, se você encontrar algum erro, por favor nos ajude entrando em contato, e, se você quiser entender o por quê, leia nosso manifesto.

Esse artigo tem duas utilidades para você: trazer novas ideias, insights e coisas pra você aplicar na sua vida AGORA ou te convencer a vivenciar uma imersão criativa. Ao assistir a série Abstract, na Netflix você entende o por que da profundidade de cada artista e suas criações e sente vontade de ver tudo de novo.

A série “iluminou” a criatividade da nossa equipe ao incentivar com que a gente arrisque mais em nossos projetos e trabalhos, ainda que seja algo comum entre os criativos, muitas vezes o desanimo ou o medo aparece. Também incentivou a tentar por ideias malucas que a gente tem, a pensar em novas soluções de interação com o público a partir de nossas criações, e a desenvolver algo que realmente faça a diferença para as pessoas, além da motivação de seguir os sonhos e ser alguém singular em sua carreira profissional. Alguns pontos pra destacar nessa obra audiovisual:

Ponto 1) Para quem trabalha na Economia Criativa e, com destaque para ilustradores, arquitetos, designers de calçados, automóveis, designers gráficos e fotógrafos, a série é quase uma masterclass com grandes nomes dessas áreas. A ideia central da série é mostrar como a criatividade atua no ser humano, e o lado empreendedor criativo em cada um dos convidados!

Ponto 2) Para quem não trabalha nessas áreas criativa ou não trabalha diretamente com a Economia Criativa, a série é um novo mundo que se abre para conhecer mais sobre inovação, amplia referências, dá ideias e um conhecimento de repertório criativo.

Em 8 micro artigos, trouxemos os insights sobre criatividade na prática que tivemos a cerca da primeira temporada. Quem quiser aprofundar ou trocar essa ideia de aprendizado conosco, ou quer saber de cara o que cada episódio vem a destacar, pode acessar cada um deles clicando nos textos abaixo:

  1. Christoph Niemann, ilustrador
  2. Tinker Hatfield, designer de produto
  3. Es Devlin, cenógrafa
  4. Bjarke Ingels, arquiteto
  5. Ralph Gilles, designer de produto
  6. Paula Scher, designer gráfico e tipografia
  7. Platon, fotógrafo
  8. Ilse Crawford, design de interiores

E quando você se sentir sozinho em sua trajetória de criações, lembre estamos por aqui, pronto para nos conectar com você. E se sentir vontade, escreva os insights que você teve em cada episódio nos links dos artigos, vamos adorar saber sua visão.

Arte da capa: Netflix

Como você se sentiu depois de aprender com este conteúdo?
  • Quero+ (0%)
  • Chocado (0%)
  • Inspirado (40%)
  • Curioso (40%)
  • Surpreso (20%)
  • Feliz (0%)
  • desanimado (0%)
Redação iH!Criei

Sobre Redação iH!Criei

O Ih!Criei é dedicado a trazer conteúdos especializados sobre as áreas da Economia Criativa, como colocar a Criatividade na Prática e o como trabalhar o Desenvolvimento Humano Criativo e Inovador em uma linguagem multimídia acessível, informal e criativa. Nossa principal visão é de que a criatividade é um valor humano e, como todo valor que contribui para o bem de uma sociedade, deve ser cultivado, compartilhado e praticado. Antes de inovar, é preciso criar.

Este post foi publicado em Audiovisual, Criatividade na Prática, zHOME e marcado com a tag em por .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *